O Mistério da Estrada de Sintra #10

Comecei ontem (finalmente!) a ler a obra acima entitulada. Confesso que já estou "pregada" ao livro - tem uma escrita viciante que estimula a nossa curiosidade e nos faz querer saber mais. Foi dificil largá-lo ontem para ir dormir.


Tratando-se então de uma análise à obra, iniciaremos pelo prefácio, um texto que me fez exclamar "já não se escreve assim hoje em dia, isto é delicioso!".


 




 


PREFÁCIO (da 3ª edição)


CARTA AO EDITOR DO "MISTÉRIO DA ESTRADA DE SINTRA"


 


Há catorze anos, numa noite de Verão, no Passeio Público, em frente de duas chávenas de café, penetrados pela tristeza da grande cidade que em torno de nós cabeceava de sono ao som de um soluçante pot-pourri dos Dois Foscaris, deliberámos reagir sobre nós mesmos e acordar tudo aquilo a berros, num romance tremendo, buzinando à Baixa das alturas do Diário de Notícias. (...)


 


Eça de Queiroz e Ramalho Ortigão


 

publicado por Queirosiana às 11:38 | link do post | comentar