As Farpas (1871-1972) #18

Não li todas as crónicas, aliás, para embaraço meu, apenas li três crónicas completas e não terminei a quarta. Não foi porque não tivesse gostado... de todo. Foi um tremendo gosto ler aquelas três Farpas, citei várias trechos ao meu pai, assinalava páginas e depois lia-as alto e tudo aquilo ainda parecia melhor e mais real dito assim, em voz alta. Sinto necessidade de justificar a minha "não leitura" completa. Acima de tudo, porque era uma leitura muito absorvente, demorada (pois haviam certos termos próprios da época e piadas com certas figuras que só através de uma pesquisa sobre quem eram, faziam sentido) e além disso, parece-me que é uma obra para ir lendo, aos poucos, deliciando cada palavra, sorvendo cada ironia.

 

Em breve aprofundarei um pouco mais as 3 crónicas que li e iniciarei a análise de "O Crime do Padre Amaro" que também já terminei.

publicado por Queirosiana às 11:53 | link do post | comentar