As Farpas (1871-1972) #11

AS CRÍTICAS

 

"Camilo preferiu não tornar pública a sua opinião. Só em carta privada, de 10 de Abril de 1872, fez saber a António Feliciano de Castilho o que pensava: «Tenho lido com espanto, e até com lágrimas no coração, o que aí se imprime contra o Imperados do Brasil. A garotice de As Farpas não tem sequer graça que lhe descontemos». (...)"

 

"Mas talvez que a polémica mais dura (...) tenha sido travada entre Eça e António Enes (...) o futuro comissário régio em Moçambique acusou Eça de, no artigo que escrever sobre Ávila, ter plagiado Alphonse Karr (...)"

 

In As Farpas (1ª edição Outubro de 2004), Introdução por Maria Filomena Mónica

 

publicado por Queirosiana às 16:20 | link do post | comentar