As Farpas (1871-1972) #10

Jornal de luta, jornal mordente, cruel, incisivo, cortante e sobretudo jornal revolucionário (...) São as Guêpes, de Karr, tratadas ao modo peninsular: mais fogo, mais vigor, mais violência e mais intenção. No estado em que se encontra o país, os homens inteligentes que têm em si a consciência da revolução - não devem instruí-lo, nem cdoutriná-lo, nem discutir com ele - devem farpeá-lo. As Farpas são pois o trait, a pilhéria, a ironia, o epigrama, o ferro em brasa, o chicote - postos aos serviço da revolução.

 

Numa Carta de Eça de Queiroz ao seu "condiscípulo em Coimbra", João Penha, explicando-lhe o objectivo d'As Farpas

 

publicado por Queirosiana às 16:15 | link do post | comentar